title

MANUEL ARAÚJO nasceu no Porto, em 1983. Iniciou os seus estudos musicais aos 5 anos de idade, em regime particular, com os professores Norma Graça-Silvestre e Felipe Nabuco Silvestre. Seguiu os estudos na Holanda, sob orientação de Aquiles Delle Vigne, diplomando-se “Cum Laude” na Codarts, Escola Superior das Artes de Roterdão.

Estudou pontualmente ainda com músicos como Mikhail Voskresensky, Angela Hewitt, Jean-Bernard Pommier, Ronald Brautigam, Gabriel Kwok, Helena Sá e Costa, Sequeira Costa, Luiz de Moura Castro, Emanuel Krasovsky, Gary Hoffman e Choong Mo Kang.

Estreou-se como profissional no ano 2000, após obter por unanimidade o 1°. Prémio Nacional de Jovens Pianistas da Fundação Rotária Portuguesa, dedicado a Helena Sá e Costa e com júri presidido pela mesma.

Obteve o primeiro prémio em diversos concursos em Portugal, França, Holanda, Espanha, Bélgica, Japão e Itália, destacando-se o Premier Prix do 89th Concours International Léopold Bellan de Paris e do 34th Yokohama International Piano Concert, e ainda S. Sebastião (Espanha), Mascia Masin e F. Zadra (Itália), Primavera Pianistica (Bélgica), Codarts Virtuoso Piano Competition (Holanda) e o Prémio Especial Luso-Brasileiro Maria Campina.

Foi também premiado pelo Concurso Internacional de Piano Interfest ( Macedónia), no Prémio Jovens Músicos RDP e pela Juventude Musical Portuguesa.

Recebeu prémios especiais do júri no Concurso Internacional Cidade de S. Sebastião (Melhor interpretação de Scriabin) e no Concurso Musical Internacional “Riviera del Conero” (Jovem Talento).

Foi um dos 36 finalistas do Concurso Internacional de Piano da Austrália em Sydney e um dos oito semifinalistas, entre todos os instrumentos, do prestigioso Vriendenkrans Concours da Orquestra Concertgebouw, no Concertgebouw de Amsterdão.

Obteve o Prémio Vianna da Motta “Melhor Pianista Português 2010”.
Actuou em Portugal, Espanha, França, Holanda, Israel, Austrália, Itália, Alemanha, Rússia, Bélgica, Brasil, Austria, Macedónia, Japão e Taiwan.

Destacam-se as suas actuações no Teatro Imperial Hermitage e no Teatro Briantzev em S. Petersburgo, no Stadsschouwburg e Concertgebouw de Amsterdão, no Lucent de Haia, no Teatro de Jerusalem, na Sala Philips do Stadsschouwburg de Eindhoven, no Theater aan het Vrijthof em Maastricht, no Theater De Vest em Alkmaar, nos Schouwburg de Roterdão, Utreque e Leiden, na Accademia Filarmonica Romana, na Kawai Omotesando Tokyo e no Carrie Chang Fine Arts Center de Taipei.

Actuou ainda no Museu Gulbenkian, no Teatro S. Luiz, no Teatro S. Carlos, no Grande Auditório CCB, Auditório da Fundação Serralves, na Sala Gótica do Hôtel de Ville de Bruxelas, no Teatro Nacional de Bitola, na Wiener Zaal do Altes Mozarteum de Salzburgo, na Salla Filarmonica de Trento, no Concertgebouw De Doelen de Roterdão, no Altes Handelsboerse e Mendelssohnhaus de Leipzig, no Palácio de S. Clemente no Rio de Janeiro, no Centro Musical Felicja Blumental de Telavive e no Seymour Centre de Sydney.

Cooperou, entre 2006 e 2009, com o coreógrafo Ton Simons e a companhia Dance Works Rotterdam, nas produções Human Figures e Moving Being, numa parceria que apresentou o primeiro livro do Cravo Bem Temperado de J. S. Bach pelas principais salas de todas as cidades dos Países Baixos.
Dedica-se com regularidade à divulgação do património musical português.

Efectuou primeiras audições modernas e estreias mundiais de obras de Frederico de Freitas, J. D. Bomtempo, Nicolau Ribas e António Fragoso. Foi-lhe dedicada a obra “Bamboleio”, de Alexandre Delgado.
Actuou com transmissão em directo para a Euroradio (EBU), Kol Ha Musica IBA (Israel), Antena 2 da RDP e para a ABC Classic (Austrália). Tem dois discos gravados para o selo Codarts, com obras de Prokofiev e Stravinsky.

Foi convidado a actuar em vários festivais, destacando-se as participações no Festival de Sintra, na Sommerakademie Mozarteum Salzburgo, no Openlook S. Petersburgo, no Festival Internacional de Alcobaça, nas Quatro Estações de Vidago, no Festival Euro-Mediterraneo (Calabria), no Forum Internacional Torrelodones, na Festa na Baixa CNC e no Rotterdam Operadagen, onde actuou na apresentação da integral das transcripções de ópera de Liszt, interpretando Reminiscences de D. Juan.
Como solista, actuou com a Sinfonia Rotterdam, Orquestra Nacional do Porto, Rotterdam Ensemble, Orquestra Filarmónica da Macedónia, Orquestra Clássica de Espinho, Orquestra do Norte e com a Orquestra Filarmonica di Stato “P. Constantinescu” de Ploiesti (Roménia), sob direcção de Conrad van Alphen, Marc Tardue, Anton Nanut, Manuel Ivo Cruz, Sergio Alapont, Roberto Beltrán, José Ferreira Lobo, Ahmed El Saedi, Artur Pinho Maria, Roberto Misto, Enrique Bátiz e Claudio Cohen.

Foi professor assistente da piano da Escola Superior de Música de Roterdão (Codarts) e da Schola Cantorum de Paris. É actualmente subdirector artístico e professor da Academia Internacional de Música “Aquiles Delle Vigne”, em Coimbra. Foi convidado a dar Masterclasses para a Kawai Omotesando de Tokyo.